Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found

Diáspora
Dv Tribo Lyrics


We have lyrics for 'Diáspora' by these artists:

Alborada Qipay qamuq chikchik para lastrullayta pampaykuy yanallaypa …
Celo Abdi Wir starten vom goldenen Tal, umgeben von Bergen und Wäldern…
Celo & Abdi Wir starten vom goldenen Tal, umgeben von Bergen und Wäldern…
Impure Wilhelmina Should I kill myself? Should I rape you first? How could I…
Rael Só olhar pra frente e ver a multidão Frutos da semente…
Rise Against Warm yourself by the fire, son And the morning will come…
Tiken Jah Fakoly feat. Alpha Blondy Diaspora African diaspora (We need you) Diaspora Mama Africa…
Tribalistas Acalmou a tormenta Pereceram O que a estes mares ontem…
Victor O Victor O Diaspora 79 rivé, yo di mwen sé lété Man fini…

The lyrics can frequently be found in the comments below, by filtering for lyric videos or browsing the comments in the different videos below.
Most interesting comments from YouTube:

Sarará

[Verso 1: Clara Lima]
São vários marginal alado, consequência é de opção
Posicionamento é fonte de quem tem disposição
Correria aos que correm, vida longa aos que morrem
Se morrer pelos que corre, e corri pelos que morrem
No contexto atesto que eu detesto emprego
Perdi a porra toda e vi de volta o meu sossego
Minha mãe sempre sonhou tanto com esse meu emprego
Eu tava dormindo nega, mas hoje eu acordei cedo
Com dispor pra subir, depor e cuspir
Desapontando, cumprindo tratos, se tratando em construi ou desconstrui
Fato forte a refletir é que eu rimei esses verso tudo e o GOMA ainda não tá aqui
E eles continua achando que nós "somo" vagabundo
E eles continua achando que nós "somo" vagabundo
É a ponte é a fonte seja bem vindo ao meu mundo

[Verso 2: Oreia]
Entrou no mato descalço e não pediu licença
Curupira ta na mata, Curupira vai matar
Homem branco não vira índio se usar um cocar
Índio não vira homem branco se portar um celular
E nosso boto cor de rosa agora é cor de marrom
E o nosso Rio São Francisco fede a papel crepom
Bateu uma grana a mais vou correr bem mais que a lebre
Ou é rap ou é deep web, mano o mal me segue
Se o tema for mulher, mais respeito as mulheres
Não é comer ou cozinhar, são bem mais do que talheres
Se o tema for política, visão do Tiririca
Serra sarra no Sarney, e o país melhora "nadica"
Foda-se o Alckmin, joguem álcool em mim
Se consta uma cesta básica liga pra mim
To meio duvidando da minha índole, to com a síndrome de julgar esses boy cuzão
FBC me ensino a síncope, não ouço Simple Plan, meu plano é simplezão

[Verso 3: Hot Apocalypse]
São simples os samples no tempo de todos templos
Em tempo de muita fala e pouco exemplo no centro
Invento novo feitiço frame 90 bpm
Ou de quem vê PM treme, sente o cheiro de morte
Fiz um corte nesse take quando vinha no Escort
A vizinha que fez de esporte a língua grande deu sorte
A barca grande deu bote, lembrei dos Bandeirantes
Matando os índios na praia por ouro e diamante
O monumento na praça escorre sangue e desgraça
É o controle da massa e essa urna é só farsa
E o que eu peço é só força nem mais um nosso na forca
Tem vários nossos na boca, e essa boca nem fala...
Ratatata só fala bala, e esse barulho é justo?
Um presidente mais um busto na praça
Eu vou desacatar quem nos cala todas linha todo custo
Esse é um susto, político pra vala

[Verso 4: Djonga]
Se a sete galo não acelera, vá de bicicleta
Tipo um vídeo do Spike Lee fazendo a coisa certa
Se Glauber Rocha fosse vivo eu dava um filme, irmão
Com Marighella, Django e Poderoso Chefão
Se Darwin estivesse entre nós, dava nada patrão
Só de me olhar entenderia a teoria da evolução
Se Neruda ouvisse falar do flow do Hot
Escreveria um best seller, só pros beat do Coyote
Intelectual do morro, sem metáfora, te apavora
Contra os nazi, os gatilho, filho, é que eu vim da diáspora
E é pau no gato praqueles que roba lá, respeito é lei
A lei é o cão, se fosse "paty" podia roubar lá
Laroiê, vermelho e preto amor de Ubá prevaleceu
Vermelho no preto é sangue e sangue preto é sangue meu
Tenho tanta fé em Deus que me considero ateu
É que eu nem boto tanta fé nesse Senhor que ocês me deu
Preocupado com questões tipo como criar um filho
Preocupado com os polícia pique Coronel Carillo
Maltrapilho e tudo se torna empecilho
To mal me piro, entrei na 9 é papo 10 sem trocadilho
São pérolas, cédulas, Mister M pra sirene
Meus versos são lágrimas, no mic um pitbull voraz
No pit um bull voraz, fala aí, concorrência descanse em paz

[Verso 5: FBC]
A rotina fode sem dó com nóis
Põem judeus de jericós e nazistas de Hugo Boss
Demônios na porta do inferno, Cérberos
Antimônio na mão sem cérebro
A cartilha do óxi, o durepoxi do pó
É o caminho pra que elejam-se
Me lembram Mao Tse, se gritam matem-se
Já que os caminhos são os mesmos então percam-se
Espectros de um filme estrangeiro
Com Kubrick na lente e Tarantino no roteiro
Longe do ninho na boca do predador
Uns vem pra ser ovelha, eu vim pra ser pastor!
To de boa quando cessam
Na minha quando caçam
No pique dos que correm
Na soma dos que somam
De olho nos que somem
Não fujo se começam
E se o mar abri eu sei que eles não passam
Não passarão!

[Outro]
Original GE



Rodrigo Azuma

São vários marginal alado
Consequência é de opção
Posicionamento é fonte de quem tem disposição
Correria aos que correm
Vida longa aos que morrem
Se morrer pelos que corre
E corri pelos que morrem
No contexto atesto que eu detesto emprego
Perdi a porra toda e vi de volta o meu sossego
Minha mãe sempre sonhou tanto com esse meu emprego
Eu tava dormindo nega, mas hoje eu acordei cedo
Com dispor pra subir, depor e cuspir
Desapontando, cumprindo tratos
Se tratando em construí ou desconstruí
Fato forte a refletir
É que eu rimei esses verso tudo
E o goma ainda não tá aqui
E eles continua achando que nós somo vagabundo
E eles continua achando que nós somo vagabundo
É a ponte é a fonte seja bem vindo ao meu mundo

Entrou no mato descalço e não pediu licença
Curupira tá na mata, curupira vai matar
Homem branco não vira índio se usar um cocar
Índio não vira homem branco se portar um celular
E nosso boto cor de rosa agora é cor de marrom
E o nosso rio são francisco fede a papel crepom
Bateu uma grana a mais
Vou correr bem mais que a lebre
Ou é rap ou é deep web, mano o mal me segue
Se o tema for mulher, mais respeito as mulheres
Não é comer ou cozinhar
São bem mais do que talheres
Se o tema for política, visão do tiririca
Serra sarra no sarney, e o país melhora "nadica"
Foda-se o alckmin, joguem álcool em mim
Se consta uma cesta básica liga pra mim
Tô meio duvidando da minha índole
Tô com a síndrome de julgar esses boy cuzão
Fbc me ensino a cincope
Não ouço simple plan, meu plano é simplezão

São simples os samples no tempo de todos templos
Em tempo de muita fala e pouco exemplo no centro
Invento novo feitiço frame 90 bpm
Ou de quem vê pm treme, sente o cheiro de morte
Fiz um corte nesse take quando vinha no escort
A vizinha que fez de esporte
A língua grande deu sorte
A barca grande deu bote, lembrei dos bandeirantes
Matando os índios na praia por ouro e diamante
O monumento na praça escorre sangue e desgraça
É o controle da massa e essa urna é só farsa
E o que eu peço é só força
Nem mais um nosso na forca
Tem vários nossos na boca, e essa boca nem fala
Ratatata só fala bala, e esse barulho é justo?
Um presidente mais um busto na praça
Eu vou desacatar
Quem nos cala todas linha todo custo
Esse é um susto, político pra vala

Se a sete galo não acelera, vá de bicicleta
Tipo um vídeo do spike lee fazendo a coisa certa
Se glauber rocha fosse vivo eu dava um filme, irmão
Com marighella, django e poderoso chefão
Se darwin estivesse entre nós, dava nada patrão
Só de me olhar entenderia a teoria da evolução
Se neruda ouvisse falar do flow do hot
Escreveria um best seller, só pros beat do coyote
Intelectual do morro, sem metáfora, te apavora
Contra os nazi, os gatilho
Filho, é que eu vim da diáspora
E é pau no gato praqueles
Que roba lá, respeito é lei
A lei é o cão, se fosse "paty" podia roubar lá
Laroiê, vermelho e preto a mojubá prevaleceu
Vermelho no preto é sangue
E sangue preto é sangue meu
Tenho tanta fé em Deus que me considero ateu
É que eu nem boto tanta fé
Nesse senhor que ocês me deu
Preocupado com questões tipo como criar um filho
Preocupado com os polícia pique coronel carillo
Maltrapilho e tudo se torna empecilho
Tô mal me piro
Entrei na 9 é papo 10 sem trocadilho
São pérolas, cédulas, mister m pra sirene
Meus versos são lágrimas, no mic um pitbull voraz
No pit um bull voraz, fala aí
Concorrência descanse em paz

A rotina fode sem dó com nóis
Põem judeus de jericós e nazistas de hugo boss
Demônios na porta do inferno, cérberos
Antimônio na mão sem cérebro
A cartilha do óxi, o durepoxi do pó
É o caminho pra que elejam-se
Me lembram mão tse, se gritam matem-se
Já que os caminhos são os mesmos então percam-se
Espectros de um filme estrangeiro
Com kubrick na lente e tarantino no roteiro
Longe do ninho na boca do predador
Uns vem pra ser ovelha, eu vim pra ser pastor!
Tô de boa quando cessam
Na minha quando caçam
No pique dos que correm
Na soma dos que somam
De olho nos que somem
Não fujo se começam
E se o mar abri eu sei que eles não passam
Não passarão!



Liana Roma

São vários marginal alado, consequência é de opção
Posicionamento é fonte de quem tem disposição
Correria aos que correm, vida longa aos que morrem
Se morrer pelos que corre, e corri pelos que morrem

No contexto atesto que eu detesto emprego
Perdi a porra toda e vi de volta o meu sossego
Minha mãe sonhou tanto com esse meu emprego
Eu tava dormindo nega, mas hoje eu acordei cedo

Com dispor pra subir, depor e cuspir
Desapontando, cumprindo tratos
Se tratando em construi ou desconstrui
Fato forte a refletir é que eu rimei esses verso tudo
E o Goma ainda não tá aqui

E eles continua achando que nós somo' vagabundo
Vagabundo, vagabundo, vagabundo, vagabundo
E eles continua achando que nós somo' vagabundo
É a ponte, é a fonte seja bem vindo ao meu mundo

Entrou no mato descalço e não pediu licença
Curipira ta na mata, Curupira vai matar
Homem branco não vira índio se usar um cocar
Índio não vira homem branco se portar um celular

E nosso boto cor de rosa agora é cor de marrom
E o nosso Rio São Francisco fede a papel crepom
Bateu uma grana a mais vou correr bem mais que a lebre
Ou é rap ou é deep web, mano o mal me segue

Se o tema for mulher, mais respeito as mulheres
Não é comer ou cozinhar, são bem mais do que talheres
Se o tema for política, visão do Tiririca
Serra sarra no Sarney, e o país melhora 'nadica

Foda-se o Alckmin, joguem álcool em mim
Se consta uma cesta básica liga pra mim
Tô meio duvidando da minha índole
Tô com a síndrome de julgar esses boy cuzão
FBC me ensino a syncope, não ouço Simple Plan
Meu plano é simplezão

São simples os samples no tempo de todos templos
Em tempo de muita fala e pouco exemplo no centro
Invento novo feitiço frame 90 bpm
Ou de quem vê PM treme, sente o cheiro de morte

Fiz um corte nesse take quando vinha no Escort
A vizinha que fez de esporte a língua grande deu sorte
A barca grande deu bote, lembrei dos Bandeirantes
Matando os índios na praia por ouro e diamante

O monumento na praça escorre sangue e desgraça
É o controle da massa e essa urna é só farsa
E o que eu peço é só força nem mais um nosso na forca
Tem vários nossos na boca, e essa boca nem fala

Ratatata só fala bala, e esse barulho é justo?
Um presidente mais um busto na praça
Eu vou desacatar quem nos cala todas linha todo custo
Esse é um susto, político pra vala

Se a sete galo não acelera, vá de bicicleta
Tipo vídeo do Spike Lee fazendo a coisa certa
Se Glauber Rocha fosse vivo eu dava um filme, irmão
Com Marighella, Django e Poderoso Chefão

Se Darwin estivesse entre nós, dava nada patrão
Só de me olhar entenderia a teoria da evolução
Se Neruda ouvisse falar do flow do Hot
Escreveria um best seller, só pros beat do Coyote

Intelectual do morro, sem metáfora, te apavora
Contra os nazi, os gatilho, filho, é que eu vim da diáspora
E é pau no gato praqueles que roba lá, respeito é lei
A lei é o cão, se fosse paty podia roubar lá

Olaroiê, vermelho e preta amor juba prevaleceu
Vermelho no preto é sangue e sangue preto é sangue meu
Tenho tanta fé em Deus que me considero ateu
É que eu nem boto tanta fé nesse Senhor que ocês me deu

Preocupado com questões tipo como criar um filho
Preocupado com os polícia pique Coronel Carillo
Maltrapilho e tudo se torna empecilho
Tô mal me piro, entrei na 9 é papo 10 sem trocadilho

São pérolas, cédulas, Mister M pra sirene
Meus versos são lágrimas, no mic um pitbull voraz
No beat um bull voraz, fala aí, concorrência descanse em paz

A rotina fode sem dó com nóis
Põem judeus de jericos e nazistas de Hugo Boss
Demônios na porta do inferno, Cérberos
Antimônio na mão sem cérebro

A cartilha do óxi, o durepoxi do pó
É o caminho pra que elejam-se
Me lembram Mao Tse, se gritam matem-se
Já que os caminhos são os mesmos então percam-se

Espectros de um filme estrangeiro
Com Kubrick na lente e Tarantino no roteiro
Longe do ninho na boca do predador
Uns vem pra ser ovelha, eu vim pra ser pastor

Tô de boa quando cessam
Na minha quando caçam
No pique dos que correm
Na soma dos que somam
De olho nos que somem
Não fujo se começam
E se o mar abri eu sei que eles não passam
Não passarão

Salve casa um, salve Léo, Rap Box, ye
TJL Glok

Original GE, Original GE, Original GE
Original GE, Original GE, Original GE
Original GE, Original GE...

❤❤❤



All comments from YouTube:

Hot e Oreia

2020

Victor Hugo

@TheSTORM kkkkkkk tudo oque ele falava agr n vale de nada e ainda prejudicou o próprio parceiro

Manana

Jhshhshhshjsjsjjdjxjxuusjdkzkzjdjdjdjufhhhdhdyvjfjhfi

TheSTORM

Vim do futuro para avisar que o Hot tomou no cú.

Um Cara Aleatorio simplesmente

hot cancelado

Ganja mc

Dia 3 de janeiro hot e oreia confirma o fim da dupla

38 More Replies...

KBS MC's

Quem tá vendo em 2019?

GB P3ddrin

2021 bro

Luiz Antônio

2020

Quarto 73

Salve rapaziada, acabamos de lançar um som aí, da uma conferida quem puder, obrigado🔥🔥

https://youtu.be/5kzQ5guiaKA

More Comments

More Videos