Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found

Me curar de mim
Flaira Ferro Lyrics


No lyrics text found for this track.

The lyrics can frequently be found in the comments below, by filtering for lyric videos or browsing the comments in the different videos below.
Most interesting comments from YouTube:

Gilson Brisolino

Avesso

Que maravilha de canção
Que virada do avesso
Mostra bem cada tropeço
Na trilha do coração

Se tenho é porque mereço
Nada é à toa enfim
Pra ter a cura em mim
Não é ser o que pareço

É ser realmente o que sou
Não a imagem do espelho
Nem sou aquele conselho
Que a muitos às vezes dou

Trazendo um leve sorriso
Com palavras de efeito
E dentro sou de outro jeito
Dou ao outro o que "eu" preciso

Mas tenho é que me enfrentar
Fazendo meu raio X
Pra poder ser feliz
Encontrando meu bem estar

Então mereço esta dor
Mereço curá-la também
Com a ajuda de alguém
Que saiba doar amor

E sei que sem autoajuda
Ninguém vai sair do escuro
Não se vai transpor o muro
E coisa nenhuma muda

Flaira, eu lhe agradeço
Pelo bem que já me faz
Desejo-lhe amor e paz
Da gratidão não esqueço

Obrigado

Gilson Brisolino
11.02.2020



Débora de Paula

Sou a maldade em crise
Tendo que reconhecer
As fraquezas de um lado
Que nem todo mundo vê

Fiz em mim uma faxina e
Encontrei no meu umbigo
O meu próprio inimigo
Que adoece na rotina

Eu quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim

O ser humano é esquisito
Armadilha de si mesmo
Fala de amor bonito
E aponta o erro alheio

Vim ao mundo em um só corpo
Esse de um metro e sessenta
Devo a ele estar atenta
Não posso mudar o outro

Eu quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim

Vou pequena e pianinho
Fazer minhas orações
Eu me rendo da vaidade
Que destrói as relações

Pra me encher do que importa
Preciso me esvaziar
Minhas feras encarar
Me reconhecer hipócrita

Sou má, sou mentirosa
Vaidosa e invejosa
Sou mesquinha, grão de areia
Boba e preconceituosa

Sou carente, amostrada
Dou sorrisos, sou corrupta
Malandra, fofoqueira
Moralista, interesseira

E dói, dói, dói me expor assim
Dói, dói, dói, despir-se assim

Mas se eu não tiver coragem
Pra enfrentar os meus defeitos
De que forma, de que jeito
Eu vou me curar de mim?

Se é que essa cura há de existir
Não sei. Só sei que a busco em mim
Só sei que a busco



Jana Rabelo

Sou a maldade em crise
Tendo que reconhecer
As fraquezas de um lado
Que nem todo mundo vê
Fiz em mim uma faxina e
Encontrei no meu umbigo
O meu próprio inimigo
Que adoece na rotina
Eu quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim
O ser humano é esquisito
Armadilha de si mesmo
Fala de amor bonito
E aponta o erro alheio

Vim ao mundo em um só corpo
Esse de um metro e sessenta
Devo a ele estar atenta
Não posso mudar o outro
Eu quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim
Vou pequena e pianinho
Fazer minhas orações
Eu me rendo da vaidade
Que destrói as relações
Pra me encher do que importa
Preciso me esvaziar
Minhas feras encarar
Me reconhecer hipócrita
Sou má, sou mentirosa
Vaidosa e invejosa
Sou mesquinha, grão de areia
Boba e preconceituosa
Sou carente, amostrada
Dou sorrisos, sou corrupta
Malandra, fofoqueira
Moralista, interesseira
E dói, dói, dói me expor assim
Dói, dói, dói, despir-se assim
Mas se eu não tiver coragem
Pra enfrentar os meus defeitos
De que forma, de que jeito
Eu vou me curar de mim?
Se é que essa cura há de existir
Não sei. Só sei que a busco em mim
Só sei que a busco



roberto dantas

Me curar de mim

Letra e música: Flaira

Sou a maldade em crise
Tendo que reconhecer
As fraquezas de um lado
Que nem todo mundo vê

Fiz em mim uma faxina e
Encontrei no meu umbigo
O meu próprio inimigo
Que adoece na rotina

Eu quero me curar de mim – REFRÃO
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim

O ser humano é esquisito
Armadilha de si mesmo
Fala de amor bonito
E aponta o erro alheio

Vim ao mundo em um só corpo
Esse de um metro e sessenta
Devo a ele estar atenta
Não posso mudar o outro

Eu quero me curar de mim – REFRÃO
Quero me curar de mim
Quero me curar de mim

Vou pequena e pianinho
Fazer minhas orações
Eu me rendo da vaidade
Que destrói as relações

Pra me encher do que importa
Preciso me esvaziar
Minhas feras encarar
Me reconhecer hipócrita

Sou má, sou mentirosa
Vaidosa e invejosa
Sou mesquinha, grão de areia
Boba e preconceituosa

Sou carente, amostrada
Dou sorrisos, sou corrupta
Malandra, fofoqueira
Moralista, interesseira

E dói, dói, dói me expor assim
dói, dói, dói, despir-se assim.

Mas se eu não tiver coragem
Pra enfrentar os meus defeitos
De que forma, de que jeito,
Eu vou me curar de mim?

Se é que essa cura há de existir
Não sei. Só sei que a busco em mim
Só sei que a busco



All comments from YouTube:

Pamela Magalhães

Flaira, que letra incrível...É exatamente tudo o que prego no meu trabalho. Obrigada pela oportunidade de transformar a realidade humana em música para que possamos absorver com mais docilidade e nos transformarmos.
Abraço.

Jaciaria Almeida

Ah como dói... falar de mim... Adoeço com a rotina mas faço regras o tempo todo! Quero um sorriso mas eu não sei sorrir ! Quero que me escutem mas eu não sei ouvir... ah como dói falar de mim... :(

betty davis

Que letra incrível dessa música

Fabricia Norma

💜 linda!

Raoni simoes

Oi🐑🐇🐢🐁

Jennifer Maciel

Pamela Magalhães Dra acompanho seu trabalho..linda música mesmo..perfeita...estamos todos em sintonia para o autoconhecimento.. Gratidão ao universo.

3 More Replies...

Kali _

Assisti um TEDx com a Flaira e ela cantou essa poesia em som apenas com sua voz suave ... A capela.
Flairinha, tu merece tudo de mais lindo! Obrigada pelo que tu me proporcionou hoje e que vou levar pra além de quando eu respirar 💜

mayra lise borges

TB assisti, chorei, arrepiei, me vi, ali , dentro das palavras e da lindíssima voz que emana desse ser imenso!

Alerta Humanidade

e verdade, agente nao e nada, quero me curar de mim

Flávio Oliveira

minha amiga ela

More Comments

More Videos