Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found

Céu Azul
Jaloo Lyrics


Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia

Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe, tem medo de mim
Mas no seu lugar eu também teria
Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo que eu tinha era papel de pão
E um único blues, o pedaço de céu

Adeus céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal do ego bom
Adeus, adeus céu azul
Não rasga a pele
Fere o coração
Me dê intimidade
Pra deitar e sonhar no teu chão

Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia

Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe, tem medo de mim
Mas no seu lugar eu também teria
Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo que eu tinha era papel de pão
E um único blues, o pedaço de céu

Adeus céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal do ego bom
Adeus, adeus céu azul
Não rasga a pele
Fere o coração
Me dê, me dê intimidade
Pra deitar e sonhar no teu chão

Vou avisar, vou avisar aos cachorros da rua
Que a minha feriada crua é melhor não lamber
Vou avisar, vou avisar aos cachorros da rua
Que a minha feriada crua é melhor não lamber

Que pro o povo pobre a vingança pode ser mel e prazer
Que pro o povo pobre a vingança pode ser mel
E prazer

Lyrics © O/B/O APRA AMCOS
Written by: Thays Da Silva

Lyrics Licensed & Provided by LyricFind
To comment on specific lyrics, highlight them
Most interesting comments from YouTube:

Luís Gustavo

MC THA:
é o meu choro fácil
laço que foi dado em outra vida
é o meu abraço que carrega o medo de soltar e sumir no mundo
jaloo é cavalheiro, caboclo elegante
cuja arma é uma flecha que voa firme e acerta o alvo
é a mata que a todo tempo produz
é o melhor do amor de oxum

JALOO:
tha é um precipício se fechando, uma prisão se abrindo, é o dia começando
magia e sossego, desespero de vida
a tha é a minha preferida
é luz e paz, esperança e elegância
o findar de toda essa andância
mc tha



Ryan Dias

Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia
Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe tem medo de mim
Mas no seu lugar eu também teria
Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo o que eu tinha era papel de pão
E o único blues, o pedaço de céu
Adeus, céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal do ego bom
Adeus, adeus, céu azul
Não rasga a pele, fere o coração
Me dê intimidade pra deitar e sonhar no teu chão
Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia
Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe, tem medo de mim
Mas no seu lugar eu também teria
Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo o que eu tinha era papel de pão
E o único blues, o pedaço de céu
Adeus, céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal do ego bom
Adeus, adeus, céu azul
Não rasga a pele, fere o coração
Me dê, me dê intimidade pra deitar e sonhar no teu chão
Vou avisar, vou avisar aos cachorros da rua
Que a minha ferida crua é melhor não lamber
Vou avisar, vou avisar aos cachorros da rua
Que pro povo pobre a vingança pode ser mel e prazer
Que pro povo pobre a vingança pode ser mel e prazer
Que pro povo pobre a vingança pode ser mel e prazer



Aqueles Dois

Letra

Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia

Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe, tem medo de mim
Mas, no seu lugar, eu também teria

Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo que eu tinha era papel de pão
E o único blues, um pedaço de céu

Adeus, céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal ego bom
Adeus, adeus, céu azul
Não rasga pele
Fere meu coração
Me dê intimidade
Pra deitar e sonhar no teu chão

Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia

Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe, tem medo de mim
Mas, no seu lugar, eu também teria

Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo que eu tinha era papel de pão
E o único blues, um pedaço de céu

Adeus, céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal ego bom
Adeus, adeus, céu azul
Não rasga pele
Fere meu coração
Me dê, Me dê intimidade
Pra deitar e sonhar no teu chão

Vou avisar
Vou avisar aos cachorros da rua
Que minha ferida crua é melhor não lamber

Vou avisar
Vou avisar aos cachorros da rua
Que pro povo pobre, a vingança pode ser mel e prazer
Que pro povo pobre, a vingança pode ser mel e prazer
Que pro povo pobre, a vingança pode ser mel e prazer



Cissa Dias

Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia

Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe, tem medo de mim
Mas no seu lugar eu também teria
Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo que eu tinha era papel de pão

E um único blues, o pedaço de céu

Adeus céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal do ego bom
Adeus, adeus céu azul
Não rasga a pele
Fere o coração
Me dê intimidade
Pra deitar e sonhar no teu chão

Hoje eu que finjo que você não existe
Se soubesse de onde eu vim, não me sorria
No oposto do sol encontrei o meu posto
E te queimei com meus raios em grande quantia

Que engraçado que me olha assim
Com cara enjoada de fotografia
Agora que sabe, tem medo de mim
Mas no seu lugar eu também teria
Queria escrever uma bela canção
Mas faltou caneta, faltou papel
Tudo que eu tinha era papel de pão
E um único blues, o pedaço de céu

Adeus céu azul
Mundo em descomunhão
Eu vou pra essa cidade
Pra perto do tal do ego bom
Adeus, adeus céu azul
Não rasga a pele
Fere o coração
Me dê, me dê intimidade
Pra deitar e sonhar no teu chão

Vou avisar, vou avisar
Aos cachorros da rua
Q minha ferida crua
É melhor não lamber

Vou avisar, vou avisar
P os cachorros da rua
Q p o povo pobre
A vingança pode
Ser mel e prazer



All comments from YouTube:

Lia Clark

Que coisa linda!!!! Vocês são puro talento amigas, parabéns mesmo 💘

Elayne Daer

@Ivan Bittencourt 111111qq111q1111111111q1q11111111

Nicolas Silva

Eu vibro quando vejo essa conectividade entre os artistas brasileiros como vocês!

Luan dee Paula

É tão lindo vê elas se ajudando

Luan dee Paula

@Helder Ferreira Comentário desnecessário, são ritmos totalmente diferentes.

Cristian Oliveira

@natanael santos que fofo !

9 More Replies...

Rodrigo Turra

Meu namorado é Argentino e começou a fazer aula de português depois de escutar essa música. Muito orgulho do Jaloo e Mc Tha, fazem um som lindo e sensível do nosso país.

Leon Mazzan

Daqui a trinta anos estarei eu evangelizando meus netos com a palavra de Tha e Jaloo. Pqp. Essa música já é um clássico pra mim.

gwayismydaddy

amémmmm mulher

Sara Luisa Santos

Exatamente como eu estarei.

More Comments

More Videos