Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found

Águas De Março
Elis Regina Lyrics


É o pau, é a pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
É peroba do campo, é o nó da madeira
Caingá candeia, é o matita-pereira

É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira
É o vento vetando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumieira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de Março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira

É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto um desgosto, é um pouco sozinho

É um estepe, é um prego, é uma conta, é um conto
É um pingo pingando, é uma conta, é um ponto
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manhã, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé
São as águas de Março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã
São as águas de Março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Pau (edra)
In (inho)
Peixe (peixe)
Oco (vinho)
Água (vidro)
Vida (ól)
Oite (orti)
Aço (zol)
São as águas de Março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Lyrics © Tratore, CORCOVADO MUSIC CORPORATION
Written by: ANTONIO PECCI FILHO TOQUINHO

Lyrics Licensed & Provided by LyricFind
To comment on specific lyrics, highlight them
Most interesting comments from YouTube:

Mariana Rodrigues Chaves

É o pau, é a pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
É peroba no campo, é o nó da madeira
Caingá candeia, é o matita-pereira

É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira
É o vento vetando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da ciumeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de a tiradeira

É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto um desgosto, é um pouco sozinho

É um estepe, é um prego, é uma conta, é um conto
É um pingo pingando, é uma conta, é um ponto
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manha, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terça
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Pau, erda
Im, inho
Esto, oco
Oco, inho
Aco, idro
Ida, ol
Oite, orte
Aço, zol
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Fonte: LyricFind



Daniel Conde

Comentários:
50% - Estrangeiros a dizer que quizeram aprender português só por causa desta canção;
40% - Brasileiros a dizer que estão a ouvir esta canção numa data qualquer de 2019 (e pela inteligência do comentário, claro, mendicar um like)
10% - Brasileiros a dizer que esta canção é de facto um monumento.




Um abraço de Portugal, de um português brasileiro - e sim, esta canção é um monumento da língua portuguesa e da cultura brasileira.



Carlos Eduardo

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol
É peroba do campo, é o nó da madeira
Caingá, candeia, é o Matita Pereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira

É o vento ventando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira
É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão

É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto, o desgosto, é um pouco sozinho
É um estrepe, é um prego, é uma ponta, é um ponto
É um pingo pingando, é uma conta, é um conto
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manhã, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada

É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato, na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Au, edra, im, minho
Esto, oco, ouco, inho
Aco, idro, ida, ol, oite, orte, aço, zol
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração



J.V Seraffim

Waters Of March (English)
https://youtu.be/g3oNSFQVzNM
A stick, a stone, it's the end of the road
It's the rest of a stump, it's a little alone
It's a sliver of glass, it is life, it's the sun
It is night, it is death, it's a trap, it's a gun
The oak when it blooms, a fox in the brush
A knot in the wood, the song of a thrush
The wood of the wind, a cliff, a fall
A scratch, a lump, it is nothing at all

It's the wind blowing free, it's the end of the slope
It's a beam it's a void, it's a hunch, it's a hope
And the river bank talks of the waters of March
It's the end of the strain
The joy in your heart
The foot, the ground, the flesh and the bone
The beat of the road, a slingshot's stone
A fish, a flash, a silvery glow
A fight, a bet the fange of a bow

The bed of the well, the end of the line
The dismay in the face, it's a loss, it's a find
A spear, a spike, a point, a nail
A drip, a drop, the end of the tale
A truckload of bricks in the soft morning light
The sound of a shot in the dead of the night
A mile, a must, a thrust, a bump,
It's a girl, it's a rhyme, it's a cold, it's the mumps
The plan of the house, the body in bed
And the car that got stuck, it's the mud, it's the mud

A float, a drift, a flight, a wing
A hawk, a quail, the promise of spring
And the river bank talks of the waters of March
It's the promise of life, it's the joy in your heart
A stick, a stone, it's the end of the road
It's the rest of a stump, it's a little alone
A snake, a stick, it is John, it is Joe
It's a thorn in your hand and a cut in your toe
A point, a grain, a bee, a bite
A blink, a buzzard, a sudden stroke of night

A pin, a needle, a sting a pain
A snail, a riddle, a wasp, a stain
A pass in the mountains, a horse and a mule
In the distance the shelves rode three shadows of blue
And the river talks of the waters of March
It's the promise of life in your heart
A stick, a stone, the end of the road

The rest of a stump, a lonesome road
A sliver of glass, a life, the sun
A knife, a death, the end of the run
And the river bank talks of the waters of March
It's the end of all strain, it's the joy in your hear

(Español)
https://youtu.be/MO8IH_yyoWY
Es palo, es piedra, es el fin del camino

Es un resto de tronco, algo solito
Es un trozo de vidrio, es la vida, es el sol

la noche,  la muerte, un lazo, un anzuelo
Es un palo-rosa del campo, nudo en la madera

Caingá, candela, es el Matita Pereira*.
Es madera del viento, borde de un barranco

Es misterio profundo
Es el quiera o no quiera

Es el viento aventado, el fin de la ladera
Es la viga, es el vano, festa da cumeeira*

Es la lluvia lloviendo, charla en la ribera
De las aguas de marzo, es el fin del trabajo

Es el pie, es el suelo, es marcha caminera
Pajarito en la mano, piedra del tira-piedras.
Un ave en el cielo, un ave en el suelo

Un arroyo, una fuente
Un pedazo de pan

Es el fondo del pozo, es el fin del camino
En el rostro el disgusto, solo en su destino
Una espina, un clavo

Una punta, un punto
Una gota goteando

Una cuenta, un cuento
Es un pez, es un gesto

Es la plata brillando

Es luz de la mañana, un ladrillo llegando

Es la leña, el día, es el fin de la charla

La botella de ron, reventón en la cara

El proyecto de casa, el cuerpo en la cama

Es el coche atascado, es el fango, es el fango

Es un paso, un puente

Es un sapo, una rana
Un resto de verde en la luz de la mañana

Son las aguas de marzo cerrando el verano
Es la promesa de vida en tu corazón.
Es palo, es piedra, es el fin del camino

Es un resto de verde, un poco solito
Es culebra, un palo, es Juan y José

Un espino en la mano, es un corte en el pie
Son la aguas de marzo cerrando el verano

La promesa de vida de tu corazón.
Es palo, es piedra, es el fin del camino

Es un resto de tronco, un poco solito
Es un paso, es un puente

Es un sapo, una rana
Es un bello horizonte, una fiebre terca

Son las aguas de marzo cerrando el verano
La promesa de vida en tu corazón.

Palo, piedra, fin del camino
El resto de tronco, un poco solito.

Palo, piedra, fin del camino
El resto de tronco, un poco solito.

Palo, piedra, fin del camino

Resto de tronco, algo solito.

Palo, piedra, fin del camino

Resto de tronco, algo solito.


Português-BR

É o pau, é a pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
É peroba no campo, é o nó da madeira
Caingá candeia, é o matita-pereira

É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira
É o vento vetando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da ciumeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de a tiradeira

É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto um desgosto, é um pouco sozinho

É um estepe, é um prego, é uma conta, é um conto
É um pingo pingando, é uma conta, é um ponto
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manha, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terça
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração



Marcos Quaran

March waters
Elis Regina
It's the stick, it's the stone, it's the end of the path
It's a stump rest, it's a little alone
It's a piece of glass, it's life, it's the sun
It's the night, it's death, it's a snare, it's the hook
It is peroba in the field, it is the knot of wood
Caingá candeia, is the matita-pereira
It's wind wood, falling over the bluff
It's the deep mystery, whether you want it or not
It's the wind vetoing, it's the end of the slope
It's the beam, it's the gap, the jealousy party
It's raining, it's river talk
From the waters of March, is the end of fatigue
It's the foot, it's the floor, it's the road march
Birdie in hand, stone from the bulldozer
It's a bird in the sky, it's a bird on the ground
It's a stream, it's a fountain, it's a piece of bread
It's rock bottom, it's the end of the road
A disgust on the face, it's a little alone
It's a steppe, it's a nail, it's a bead, it's a tale
It's a trickle, it's an account, it's a point
It's a fish, it's a gesture, it's a shining silver
It's the morning light, the brick is coming
It's the firewood, it's the day, it's the end of the sting
It's the cane bottle, the shrapnel on the road
It's the house design, it's the body on the bed
It's the broken car, it's the mud, it's the mud
It's a step, it's a bridge, it's a frog, it's a frog
It's a rest of bush in the morning light
It's the waters of March closing the summer
It's the promise of life in your heart
It's a snake, it's a stick, it's João, it's José
It's a thorn in the hand, it's a cut on the foot
It's the waters of March closing the summer
It's the promise of life in your heart
It's stick, it's stone, it's the end of the path
It's a stump rest, it's a little alone
It's a step, it's a bridge, it's a frog, it's a frog
It's a beautiful horizon, it's a fever Tuesday
It's the waters of March closing the summer
It's the promise of life in your heart



Bruna Sam

Es el palo, es la piedra, es el final del camino.
Es un tocón de descanso, está un poco solo
Es un pedazo de vidrio, es vida, es el sol.
Es la noche, es la muerte, es una trampa, es el gancho
Es peroba en el campo, es el nudo de la madera.
Caingá candeia, es la matita-pereira

Es viento madera, cayendo sobre el acantilado
Es el misterio profundo, lo quieras o no.
Es el veto del viento, es el final de la pendiente
Es la viga, es la brecha, la fiesta de los celos
Está lloviendo, es charla fluvial
Desde las aguas de marzo, es el fin de la fatiga
Es el pie, es el piso, es la marcha del camino
Birdie en mano, piedra de la excavadora

Es un pájaro en el cielo, es un pájaro en el suelo
Es un arroyo, es una fuente, es un pedazo de pan.
Es fondo de roca, es el final del camino
Un asco en la cara, está un poco solo

Es una estepa, es un clavo, es una cuenta, es un cuento
Es un goteo, es una cuenta, es un punto
Es un pez, es un gesto, es una plata brillante.
Es la luz de la mañana, viene el ladrillo
Es la leña, es el día, es el final de la picadura.
Es la botella de caña, la metralla en el camino
Es el diseño de la casa, es el cuerpo sobre la cama.
Es el auto roto, es el lodo, es el lodo

Es un paso, es un puente, es una rana, es una rana
Es un resto de arbusto en la luz de la mañana.
Son las aguas de marzo cerrando el verano
Es la promesa de la vida en tu corazón

Es una serpiente, es un palo, es João, es José
Es una espina en la mano, es un corte en el pie
Son las aguas de marzo cerrando el verano
Es la promesa de la vida en tu corazón
Es palo, es piedra, es el final del camino
Es un tocón de descanso, está un poco solo
Es un paso, es un puente, es una rana, es una rana
Es un hermoso horizonte, es fiebre el martes
Son las aguas de marzo cerrando el verano
Es la promesa de la vida en tu corazón

Pau, erda
Soy inho
Esto es hueco
Hueco, melocotón
Aco, idro
Ida, ol
Oite, orte
Acero, zol
Son las aguas de marzo cerrando el verano
Es la promesa de la vida en tu corazón



All comments from YouTube:

Paulo Mathias

E pensar que a elis mantém uma voz dessa mesmo com um cigarro na mão kkaakka

Jorge Frederico

@Matheus Ribeiro Marinho me da uma ou um cantor
Hoje que chega aos pés dela ...
Nada a ver bom o Vicio
Vamos falar do Talento

Julio César Rodrigues Ferreira da Silva Reducar Rio

@Matheus Ribeiro Marinho foi por causa de cerveja, resultou em uma parada cardíaca

Ducky

@Ricardo Pereira De Melo Filho Cara, ela obviamente fumava! Informe-se

Viih Rochaaa

Paulin vc aqui

Ricardo Pereira De Melo Filho

Cigarro na mão não faz mal

21 More Replies...

Gil B

Its 4 am in Texas, it's raining, my birthday and this is the most pleasant thing I could find by accident. Life is good today.

im filipino

cu

Gil B

@Jane Barnett good morning to you! And thank you for the recommendations

Jane Barnett

Your birthday is long gone, but wishing you happy bossa moments to cheer you through these grim times. It’s coincidentally 4am here in the UK. I turn to Eli’s Regina singing Aguas de Março when times are challenging. She got me through a painful time when I divorced 9 years ago, and I know she can lift my spirits whenever they seem to be declining. Any bossa can do it for this buttoned-up Brit, actually. I have just discovered young Rita Payés and her mentor Joan Chamorro. Look them up! A joy!

More Comments

More Videos