Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found

Avôhai
Zé Ramalho Lyrics


Um velho cruza a soleira
De botas longas, de barbas longas
De ouro o brilho do seu colar
Na laje fria onde quarava
Sua camisa e seu alforje de caçador

Oh meu velho e invisível
Avôhai!
Oh meu velho e indivisível
Avôhai!

Neblina turva e brilhante
Em meu cérebro coágulos de sol
Amanita matutina
E que transparente cortina
Ao meu redor

Se eu disser que é meio sabido
Você diz que é meio pior
Mas e pior do que planeta quando perde o girassol

É o terço de brilhante
Nos dedos de minha avó
E nunca mais eu tive medo da porteira
Nem também da companheira
Que nunca dormia só

Avôhai!
Avôhai!
Avôhai!

O brejo cruza a poeira
De fato existe um tom mais leve
Na palidez desse pessoal
Pares de olhos tão profundos
Que amargam as pessoas que fitar

Mas que bebem sua vida
Sua alma na altura que mandar
São os olhos, são as asas
Cabelos de avôhai

Na pedra de turmalina e no terreiro da usina eu me criei
Voava de madrugada e na cratera condenada eu me calei
E se eu calei foi de tristeza
Você cala por calar
Mas e calado vai ficando só fala quando eu mandar

Rebuscando a consciência com medo de viajar
Até o meio da cabeça do cometa
Girando na carrapeta no jogo de improvisar
Entrecortando eu sigo dentro a linha reta
Eu tenho a palavra certa
Prá doutor não reclamar

Avôhai
Avôhai
Avôhai
Avôhai

Lyrics © Universal Music Publishing Group
Written by: Jose Ramalho Neto

Lyrics Licensed & Provided by LyricFind
To comment on specific lyrics, highlight them
Most interesting comment from YouTube:

Jadson Tavares

LETRA

Um velho cruza a soleira
De botas longas, de barbas longas
De ouro o brilho do seu colar
Na laje fria onde coarava
Sua camisa e seu alforje
De caçador
O meu velho e invisível
Avôhai
O meu velho e indivisível
Avôhai
Neblina turva e brilhante
Em meu cérebro, coágulos de sol
Amanita matutina
E que transparente cortina
Ao meu redor
Se eu disser
Que é mei sabido
Você diz que é mei pior
Mas e pior do que planeta
Quando perde o girassol
É o terço de brilhante
Nos dedos de minha avó
E nunca mais eu tive medo
Da porteira
Nem também da companheira
Que nunca dormia só
Avôhai
Avôhai
Avôhai
Avôhai
O brejo cruza a poeira
De fato existe
Um tom mais leve
Na palidez desse pessoal
Pares de olhos tão profundos
Que amargam as pessoas
Que fitar
Mas que bebem sua vida
Sua alma na altura que mandar
São os olhos, são as asas
Cabelos de avôhai
Na pedra de turmalina
E no terreiro da usina
Eu me criei
Voava de madrugada
E na cratera condenada
Eu me calei
E se eu calei foi de tristeza
Você cala por calar
Mas e calado vai ficando
Só fala quando eu mandar
Rebuscando a consciência
Com medo de viajar
Até o meio da cabeça do cometa
Girando na carrapeta
No jogo de improvisar
Entrecortando
Eu sigo dentro a linha reta
Eu tenho a palavra certa
Pra doutor não reclamar
Avôhai
Avôhai



All comments from YouTube:

Jadson Tavares

LETRA

Um velho cruza a soleira
De botas longas, de barbas longas
De ouro o brilho do seu colar
Na laje fria onde coarava
Sua camisa e seu alforje
De caçador
O meu velho e invisível
Avôhai
O meu velho e indivisível
Avôhai
Neblina turva e brilhante
Em meu cérebro, coágulos de sol
Amanita matutina
E que transparente cortina
Ao meu redor
Se eu disser
Que é mei sabido
Você diz que é mei pior
Mas e pior do que planeta
Quando perde o girassol
É o terço de brilhante
Nos dedos de minha avó
E nunca mais eu tive medo
Da porteira
Nem também da companheira
Que nunca dormia só
Avôhai
Avôhai
Avôhai
Avôhai
O brejo cruza a poeira
De fato existe
Um tom mais leve
Na palidez desse pessoal
Pares de olhos tão profundos
Que amargam as pessoas
Que fitar
Mas que bebem sua vida
Sua alma na altura que mandar
São os olhos, são as asas
Cabelos de avôhai
Na pedra de turmalina
E no terreiro da usina
Eu me criei
Voava de madrugada
E na cratera condenada
Eu me calei
E se eu calei foi de tristeza
Você cala por calar
Mas e calado vai ficando
Só fala quando eu mandar
Rebuscando a consciência
Com medo de viajar
Até o meio da cabeça do cometa
Girando na carrapeta
No jogo de improvisar
Entrecortando
Eu sigo dentro a linha reta
Eu tenho a palavra certa
Pra doutor não reclamar
Avôhai
Avôhai

Petrônio Porto

Amazing!

Carlos Correia Correia

Uma pérola da nossa incrível música brasileira

Alexandre Rocha da Silva

Você é demais Jadson. Valeu Cidadão

RANARiA UNICA

EU tinha 12 ano è tinha saido di casa e chorava ouvido èsa musica que tocava em comtinuasao em uma lanchonete lenbrando dò meo pai que Era barbudo è so andava di bota infelicemente quando EU pudi volta nao emcontrei mais mais acredito que èle sabi o quanto EU lì amò è o que FIS parà OS filho dele

Jose Carlos Santana

Saudades do meu Avô

wagner augustus correia e siilva

Preocupa não Amiga , quem curte Avohai , até os nossos inimigos nos respeitam

Marcio Fidelles K9

Triste.

LEVIANTONIOARAUJODONASCIMENTO NASCIMENTO

Isso que e musica.

wagner augustus correia e siilva

Dia 2 de setembro ele vira aqui na minha cidade de Ipatinga MG pela 6 vez , eu fui em todas, e mais 11 cidades diferente , merecia uma foto com ele né mesmo?

More Comments

More Videos