Construção
Chico Buarque Lyrics


Jump to: Overall Meaning ↴  Line by Line Meaning ↴

Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego

Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público

Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contra-mão atrapalhando o sábado

Por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir
A certidão pra nascer e a concessão pra sorrir
Por me deixar respirar, por me deixar existir
Deus lhe pague

Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir
Pela fumaça e a desgraça que a gente tem que tossir
Pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair
Deus lhe pague

Pela mulher carpideira pra nos louvar e cuspir
E pelas moscas bicheiras a nos beijar e cobrir




E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir
Deus lhe pague

Overall Meaning

The song "Construção" by Chico Buarque is a poetic representation of the cycle of life and the power dynamics that exist within society. It tells the story of a construction worker who, in the midst of his labor, reflects on his own mortality and the transience of his existence. He loves his wife and children with fervor, as though each moment were his last, and goes through his daily motions with a sense of urgency, as though time were running out. The worker is a symbol for those who are at the bottom of society's hierarchy, whose labor keeps the world running but who are easily disposable or forgotten. His death is almost trivial, as he dies in the middle of the street, disrupting the flow of traffic, and his sacrifice goes unacknowledged.


The song also comments on the injustice and inequity that exists in society. The worker is forced to drink and suffer from the fumes of his work, while the higher-ups in the construction business reap the profits. The line "pela cachaça de graça" (for the free booze we have to swallow) is a reference to the alcohol that was often used to bribe workers into doing dangerous tasks or to help them cope with the harsh working conditions. The worker is also forced to endure the praise of the mourning women at funerals, who are paid to cry and sing, and the flies that cover them after they've died. Despite all this, the worker still finds moments of joy and transcendence in his life, dancing and laughing as though he were listening to music.


Overall, the song is a powerful social commentary on the struggles of the working class and the underlying inequalities of society.


Line by Line Meaning

Amou daquela vez como se fosse a última
He loved that time as if it were the last


Beijou sua mulher como se fosse a última
He kissed his wife as if it were the last


E cada filho seu como se fosse o único
And each of his children as if they were the only one


E atravessou a rua com seu passo tímido
And crossed the street with his timid step


Subiu a construção como se fosse máquina
He climbed the construction site as if he were a machine


Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Raised four solid walls on the floor


Tijolo com tijolo num desenho mágico
Brick by brick, in a magical design


Seus olhos embotados de cimento e lágrima
His eyes clouded with cement and tears


Sentou pra descansar como se fosse sábado
He sat to rest as if it were Saturday


Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
He ate rice and beans as if he were a prince


Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
He drank and sobbed as if he were a shipwrecked


Dançou e gargalhou como se ouvisse música
He danced and laughed as if he heard music


E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
And stumbled in the sky as if he were drunk


E flutuou no ar como se fosse um pássaro
And floated in the air as if he were a bird


E se acabou no chão feito um pacote flácido
And ended up on the ground like a flaccid package


Agonizou no meio do passeio público
He agonized in the middle of the public walkway


Morreu na contramão atrapalhando o tráfego
He died in the opposite lane, disturbing the traffic


Por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir
For this bread to eat, for this ground to sleep


A certidão pra nascer e a concessão pra sorrir
The certificate to be born and the permission to smile


Por me deixar respirar, por me deixar existir
For letting me breathe, for letting me exist


Deus lhe pague
God reward you


Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir
For the free booze that we have to swallow


Pela fumaça e a desgraça que a gente tem que tossir
For the smoke and the misery that we have to cough


Pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair
For the hanging scaffolds that we have to fall


Pela mulher carpideira pra nos louvar e cuspir
For the hired mourning woman to praise us and spit


E pelas moscas bicheiras a nos beijar e cobrir
And for the flies and maggots to kiss and cover us


E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir
And for the final peace that will redeem us


Deus lhe pague
God reward you




Lyrics © O/B/O APRA AMCOS
Written by: Francisco Buarque De Hollanda

Lyrics Licensed & Provided by LyricFind
To comment on or correct specific content, highlight it

Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Most interesting comments from YouTube:

@canalobom1391

Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido
Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima
Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música
E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão atrapalhando o tráfego
Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado
Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego
Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo
E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público
Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contramão atrapalhando o sábado



@alinemarqueshistoriadora8772

Construção
Chico Buarque (1971)

Amou daquela vez como se fosse a última
Beijou sua mulher como se fosse a última
E cada filho seu como se fosse o único
E atravessou a rua com seu passo tímido

Subiu a construção como se fosse máquina
Ergueu no patamar quatro paredes sólidas
Tijolo com tijolo num desenho mágico
Seus olhos embotados de cimento e lágrima

Sentou pra descansar como se fosse sábado
Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe
Bebeu e soluçou como se fosse um náufrago
Dançou e gargalhou como se ouvisse música

E tropeçou no céu como se fosse um bêbado
E flutuou no ar como se fosse um pássaro
E se acabou no chão feito um pacote flácido
Agonizou no meio do passeio público
Morreu na contramão, atrapalhando o tráfego

Amou daquela vez como se fosse o último
Beijou sua mulher como se fosse a única
E cada filho seu como se fosse o pródigo
E atravessou a rua com seu passo bêbado

Subiu a construção como se fosse sólido
Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
Tijolo com tijolo num desenho lógico
Seus olhos embotados de cimento e tráfego

Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
Bebeu e soluçou como se fosse máquina
Dançou e gargalhou como se fosse o próximo

E tropeçou no céu como se ouvisse música
E flutuou no ar como se fosse sábado
E se acabou no chão feito um pacote tímido
Agonizou no meio do passeio náufrago
Morreu na contramão atrapalhando o público

Amou daquela vez como se fosse máquina
Beijou sua mulher como se fosse lógico
Ergueu no patamar quatro paredes flácidas
Sentou pra descansar como se fosse um pássaro
E flutuou no ar como se fosse um príncipe
E se acabou no chão feito um pacote bêbado
Morreu na contramão atrapalhando o sábado



All comments from YouTube:

@liciafreire7766

Todas as palavras no final de cada frase são proparoxitonas, o que é bem difícil... Visto que são só 10% de toda gramática... Um gênio!

@carlosscarpelini7626

Mto concurseira

@stefanisilvasantos7270

Sério q é só 10%?

@JoseLRocha-fj2tw

Sim. Não sei se são 10%, mas outra música que usa esse recurso é formato mínimo do skank.

@pklav

Assim como Robocopgay dos Mamonas. Não totalmente, mas quase toda a música as palavras que rimam são Proparoxítonas

@BrenoOberdan

Ele é sobrinho do Aurélio que da nome ao dicionário, parece piada mas não é rsrsrs...

172 More Replies...

@arotinadaro_pierrecadeirante

"...Morreu na contramão atrapalhando o tráfego..."
Essa frase da canção sempre me faz pensar em quanto as pessoas estão pouco se importando com as tragédias pessoais de cada um e só se importam com seu atraso em sua vida cotidiana.

@yamaguchi1.394

Aparentemente o cara era um vagabundo, traía a esposa, era bêbado... Enfim, pra morrer teve que atrapalhar outras pessy

@arotinadaro_pierrecadeirante

@Yamaguchi 1.3 sério? Essa foi a sua interpretação para a letra dessa música?

@wolsgrun

Pois é...

More Comments

More Versions