Cristina Branco, Histórias Do Tempo: We need your help!

  • I can comment on it

  • I know the meaning

  • I can review it

  • I can translate it

Skip to video »
Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Histórias Do Tempo
by Cristina Branco

São contas
Que são feitas de tempo
Colares
Com o bem e o mal

São histórias de sacrificio
Mas
Também de carnaval

Onde há uma aranha na teia
Que a memória incendeia
No vicio de persistir
Aonde os avós
E os que hão-de vir
São a frente e o avesso
De Nós

São histórias
Onde há medo do tempo

São histórias
Do além e daqui
E
Que se espalmam nas casas
Quais
Relógios de Dali

Onde há uma aranha na teia
Que a memória incendeia
No vicio de persistir
Aonde os avós
E os que hão-de vir
São a frente e o avesso
De Nós

Numa história qualquer
Que alguém contou
De quem viveu
Num tempo
E que ao mundo roubou
Um Eu

Contributed by David B. Suggest a correction in the comments below.
To comment on specific lyrics, highlight them