Cristina Branco, Miriam: We need your help!

  • I can comment on it

  • I know the meaning

  • I can review it

  • I can translate it

Skip to video »
Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Miriam
by Cristina Branco

Quem te visse aprumadinha
Camisa, calça de ganga
Colarzinho de missanga
E quase sempre sozinha

Mas chegando a madrugada
Montavas a bicicleta
De t-shirt e calça preta
E grande capa doirada

Uma argola na orelha
E uma mochila vermelha

Quem havia de dizer
O que andavas a fazer
Ai Miriam
Quem te visse
A passear no Chiado
Com um ar muito aprumado

De repente tão reguila
E o que era mais estranho
É que essa tua mochila
Parecia sem tamanho

Lá cabia o que tiravas
De toda a parte onde andavas
Sem que ninguém te apanhasse
E sem que ninguém te visse

Qual Robin que se inspirasse
Nas aventuras de Alice

Quem havia de dizer
O que tu ias trazer
Ai Miriam
Quem te visse
De dia, uma boa menina
E à noite super-heroína

As coisas que tu trazias!

Um grande queijo da serra
Um dicionário, um colchão
Um bom pedaço de terra
Um comboio, um avião

Estacionamento sem multa
Um posto de gasolina
Um bilhete pró Teatro
Umas férias em Berlim

Uma casa e um jardim
Um alvará e um contrato
Um bife, uma sopa quente
Uma visita a Foz Coa

Uns patins, uma meloa
O Expresso do Oriente

Até ao raiar da aurora
Como se fosse um festim
Que nunca mais tinha fim
Como se todos os dias
Tudo fosse sempre assim

E muito mais…muito mais…
As coisas essenciais
P'ra se poder escolher
A vida que se quer ter

E de toda a parte vêm
Os que nunca nada têm
Fazer um grande festim
Com tudo o que tu trazias

Como se todos os dias
Tudo fosse sempre assim

Quem é que pode saber
O que vai acontecer
Ai Miriam
Quem te visse
Se muitos fossem capazes
De fazer o que tu fazes.

Contributed by Caroline C. Suggest a correction in the comments below.
To comment on specific lyrics, highlight them