Cristina Branco, Post Scriptum: We need your help!

  • I can comment on it

  • I know the meaning

  • I can review it

  • I can translate it

Skip to video »
Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Post Scriptum
by Cristina Branco

Afasto de ti, com raiva surda
O corpo, as mãos, o pensamento
E apago, secreta, uma a uma
As velas acesas do teu vento

Liberta, ponho o corpo em seu lugar
Visto a cidade, penteio um rio sedento
Penso que ganho e fujo, e não entendo
Penso que durmo, mas não consigo tempo

E cede-se o vazio sobre o meu ventre
E segue-se a saudade em seu sustento
E digo este meu vício dos teus olhos
De um verde tão lento, muito lento

Se penso que te deixo, já te quero
Se pensas que recuso, já te anseio
Se penso que te odeio, já te espero
E torno a oferecer-te o que receio

Se penso que me calo, já te grito
Se penso que me escondo, já me ofereço
Se penso que não sinto, é porque minto

E digo este meu vício dos teus olhos
Se penso que me olhas, eu estremeço

Contributed by Kennedy D. Suggest a correction in the comments below.
To comment on specific lyrics, highlight them