Cristina Branco, Soneto de Separação: We need your help!

  • I can comment on it

  • I know the meaning

  • I can review it

  • I can translate it

Skip to video »
Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Soneto de Separação
by Cristina Branco

De repente, do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas, fez-se a espuma
E das mãos espalmadas, fez-se o espanto

De repente, da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel, fez-se o drama

De repente, não mais que de repente
Fez-se tiste o que se fez amante
E de sózinho o que se fez contente

Fez-se do amigo, próximo, o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente

Contributed by Adrian E. Suggest a correction in the comments below.
To comment on specific lyrics, highlight them

More Videos