Águas De Março
Elis Regina Lyrics


Jump to: Overall Meaning ↴  Line by Line Meaning ↴

É o pau, é a pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
É peroba no campo, é o nó da madeira
Caingá candeia, é o matita-pereira

É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira
É o vento vetando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira
É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira

É uma ave no céu, é uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto um desgosto, é um pouco sozinho

É um estepe, é um prego, é uma conta, é um conto
É um pingo pingando, é uma conta, é um ponto
É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manha, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama

É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato na luz da manhã
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração
É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terça
São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Pau, erda
Im, inho
Esto, oco
Oco, inho
Aco, idro
Ida, ol
Oite, orte
Aço, zol




São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

Overall Meaning

"Águas de Março" is a Brazilian bossa nova song by Antonio Carlos Jobim, first released in 1972. The song talks about the everyday things that come with the Brazilian rainy season in March, the end of the summer season, and the promises of new beginnings that come with it. The lyrics describe both positive and negative things, such as life and death, love and separation, richness and poverty, dreams and reality, and so on. The song also uses a lot of metaphors and wordplays, making it a favorite among Brazilian literature enthusiasts.


The song has been covered by many famous artists worldwide, but the most iconic version is the one sung by Elis Regina, a Brazilian singer who passed away in 1982 but still is considered one of the greatest Brazilian singers of all time. Her interpretation of the song is widely regarded as one of her most emblematic works, showcasing her unique voice, interpretation skills, and charisma.


Overall, the song is a celebration of life's complexity and beauty, with all its contradictions and diversity, and it also highlights the importance of embracing change and looking forward to new possibilities.


Line by Line Meaning

É o pau, é a pedra, é o fim do caminho
Life is full of obstacles and challenges that can seem insurmountable


É um resto de toco, é um pouco sozinho
Sometimes we are left with very little and are forced to face our problems alone


É um caco de vidro, é a vida, é o sol
Life can be both fragile and beautiful, with moments of both pain and joy


É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol
Life is full of the unknown and unexpected, both good and bad


É peroba no campo, é o nó da madeira
Nature has its own beauty and complexity, even in the simplest things like a tree or a knot in wood


Caingá candeia, é o matita-pereira
There is beauty and richness in Brazilian culture, such as the Caingá and Matita-Pereira


É madeira de vento, tombo da ribanceira
Some things in life are fleeting and unpredictable, like wind and the chance of falling


É o mistério profundo, é o queira ou não queira
Life is full of mystery and force, whether we want it or not


É o vento vetando, é o fim da ladeira
Life has its limits and boundaries, which can be both frustrating and necessary


É a viga, é o vão, festa da cumeeira
Even in construction, there is celebration and joy, with the framing of a roof


É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Nature has simplicity and beauty, like the sound of rain and the flow of a river


Das águas de março, é o fim da canseira
The end of a season can be a time of rest and reflection, like the end of the rainy season in March


É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Life is a journey, with each step we take bringing us closer to our destination


Passarinho na mão, pedra de atiradeira
Life has its moments of fragility and power, like holding a bird in the hand or wielding a slingshot


É uma ave no céu, é uma ave no chão
Nature is both vast and small, with birds soaring through the sky or walking on the ground


É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
Life has simple pleasures, like a trickling stream or a fresh piece of bread


É o fundo do poço, é o fim do caminho
Sometimes we hit rock bottom and feel like we've reached the end of the road


No rosto um desgosto, é um pouco sozinho
There are times when we feel alone and face disappointment and sorrow


É um estepe, é um prego, é uma conta, é um conto
Life is full of diverse and unexpected things, including spare tires, nails, bills, and stories


É um pingo pingando, é uma conta, é um ponto
Even small things can have significance and add up over time, like a dripping faucet or the point at the end of a sentence


É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
Life has moments of beauty and worth, like a shimmering fish or a kind gesture


É a luz da manha, é o tijolo chegando
New beginnings and progress can bring hope and a sense of purpose, like the light of morning or the arrival of building supplies


É a lenha, é o dia, é o fim da picada
Daily life can have its challenges and rewards, such as gathering firewood or reaching the end of a trail


É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
There can be both pleasure and pain in life, as with drinking sugarcane liquor and the danger of broken glass on the road


É o projeto da casa, é o corpo na cama
Life involves both the planning and creation of things, like a house, and the need for rest and rejuvenation


É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
Life can have its frustrating moments, like a broken down car and getting stuck in the mud


É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
Life is full of transitions and changes, from taking steps forward to crossing bridges, encountering frogs and toads along the way


É um resto de mato na luz da manhã
There is beauty and peace in the natural world, like the remaining plants in the morning light


São as águas de março fechando o verão
The rains of March signal the end of summer and the beginning of a new season


É a promessa de vida no teu coração
There is hope and promise in the heart, even during difficult times


É uma cobra, é um pau, é João, é José
Life has its dangers and surprises, with snakes, sticks, and unexpected people like João and José


É um espinho na mão, é um corte no pé
There can be pain and injury in life, like getting a thorn in your hand or cutting your foot


É pau, é pedra, é o fim do caminho
Life is a mixture of strength and resistance, including obstacles that can feel impossible to overcome


É um resto de toco, é um pouco sozinho
At times, we can feel abandoned with very little to hold on to


É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
Life is an ongoing journey with unexpected twists and turns, both good and bad


É um belo horizonte, é uma febre terça
Even in the midst of fever and illness, there can be beauty and the potential for new experiences


São as águas de março fechando o verão
Just as the rains in March signal the end of one season, they also bring renewal and the promise of a new beginning


É a promessa de vida no teu coração
Regardless of the challenges and struggles we face, there is always hope and the potential for a meaningful life




Lyrics © CORCOVADO MUSIC CORPORATION, Tratore
Written by: Antonio Carlos Jobim

Lyrics Licensed & Provided by LyricFind
To comment on or correct specific content, highlight it

Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Most interesting comments from YouTube:

Lucas Santos Costa

Letra:

É pau, é pedra
É o fim do caminho
É um resto de toco
É um pouco sozinho

É um caco de vidro
É a vida, é o Sol
É a noite, é a morte
É um laço, é o anzol

É peroba do campo
O nó da madeira
Caingá, candeia
É o matinta-pereira

É madeira de vento
Tombo da ribanceira
É um mistério profundo
É o queira ou não queira

É o vento ventando
É o fim da ladeira
É a viga, é o vão
Festa da cumieira

É a chuva chovendo
É conversa ribeira
Das águas de março
É o fim da canseira

É o pé é o chão
É a marcha estradeira
Passarinho na mão
Pedra de atiradeira

É uma ave no céu
É uma ave no chão
É um regato, é uma fonte
É um pedaço de pão

É o fundo do poço
É o fim do caminho
No rosto o desgosto
É um pouco sozinho

É um estrepe, é um prego
É uma ponta, é um ponto
É um pingo pingando
É uma conta, é um conto

É um peixe, é um gesto
É uma prata brilhando
É a luz da manhã
É o tijolo chegando

É a lenha, é o dia
É o fim da picada
É a garrafa de cana
Estilhaço na estrada

É o projeto da casa
É o corpo na cama
É o carro enguiçado
É a lama, é a lama

É um passo, é uma ponte
É um sapo, é uma rã
É um resto de mato
Na luz da manhã

São as águas de março
Fechando o verão
É a promessa de vida
No teu coração

É uma cobra, é um pau
É João, é José
É um espinho na mão
É um corte no pé

São as águas de março
Fechando o verão
É a promessa de vida
No teu coração

É pau, é pedra
É o fim do caminho
É um resto de toco
É um pouco sozinho

É um passo, é uma ponte
É um sapo, é uma rã
É um belo horizonte
É uma febre terçã

São as águas de março
Fechando o verão
É a promessa de vida
No teu coração



James Rawlins

Here are the English lyrics to Waters of March by Tom Jobim
A stick, a stone
It's the end of the road
It's the rest of a stump
It's a little alone

It's a sliver of glass
It is life, it's the sun
It is night, it is death
It's a trap, it's a gun

The oak when it blooms
A fox in the brush
A knot in the wood
The song of a thrush

The wood of the wind
A cliff, a fall
A scratch, a lump
It is nothing at all

It's the wind blowing free
It's the end of the slope
It's a beam, it's a void
It's a hunch, it's a hope

And the river bank talks
Of the waters of March
It's the end of the strain
The joy in your heart

The foot, the ground
The flesh and the bone
The beat of the road
A slingshot's stone

A fish, a flash
A silvery glow
A fight, a bet
The range of a bow

The bed of the well
The end of the line
The dismay in the face
It's a loss, it's a find

A spear, a spike
A point, a nail
A drip, a drop
The end of the tale

A truckload of bricks
In the soft morning light
The shot of a gun
In the dead of the night

A mile, a must
A thrust, a bump
It's a girl, it's a rhyme
It's a cold, it's the mumps

The plan of the house
The body in bed
And the car that got stuck
It's the mud, it's the mud

Afloat, adrift
A flight, a wing
A hawk, a quail
The promise of spring

And the riverbank talks
Of the waters of March
It's the promise of life
It's the joy in your heart

A stick, a stone
It's the end of the road
It's the rest of a stump
It's a little alone

A snake, a stick
It is John, it is Joe
It's a thorn in your hand
And a cut in your toe

A point, a grain
A bee, a bite
A blink, a buzzard
A sudden stroke of night

A pin, a needle
A sting, a pain
A snail, a riddle
A wasp, a stain

A pass in the mountains
A horse and a mule
In the distance the shelves
Rode three shadows of blue

And the riverbank talks
Of the waters of March
It's the promise of life
In your heart, in your heart

A stick, a stone
The end of the road
The rest of a stump
A lonesome road

A sliver of glass
A life, the sun
A knife, a death
The end of the run

And the riverbank talks
Of the waters of March
It's the end of all strain
It's the joy in your heart



adburger

Waters of March - English translation
A stick, a stone,
its the end of the road,
It’s what’s left of a stump,
It’s a little alone
It’s a sliver of glass,
It is life, it’s the sun,
It is night, it is death,
It’s a snare, it’s a gun
It’s the blossoming field,
It’s the candlelight’s blush,
It’s the knot in the wood,
it’s the song of the thrush
It’s the wood of the wind,
It’s the cliff and the fall,
It is Mystery’s depths,
It is nothing at all
It’s the wind blowing free,
It’s the crest of the slope,
It’s a beam, it’s a bay,
it’s the thrill at the top.
It’s the rain raining down,
it’s a wild flood of talk,
as March waters dissolve
all the cares of the heart.
The foot, the ground,
it’s the heavy walk home,
it’s the bird in the hand,
it’s the slingshot’s fresh stone.
It’s a bird in the sky,
It’s a bird in the wood,
It’s a stream, it’s a spring,
it’s a morsel of food.
It’s the base of a well,
it’s the end of the line,
the dismay on a face,
it’s a loss, it’s a find.
It’s a spear, it’s a spike
it’s a tale, it’s a bill,
it’s a tip, it’s a top, a drop
dripping at will.
A fish, a flash,
a silvery glow,
it’s the fresh morning light,
it’s the spring of a bow
It’s a truckload of wood,
it’s the pain of the bite
it’s cachaça drunk straight
on the street in the night
It’s the plan of the house,
it’s a body in bed,
it’s the car that got stuck,
it’s the mud, it’s the mud!
A step, a bridge,
a frog and a child,
it’s the landscape alive
in the fresh morning light
And the waters of March
put the summer to sleep
with the promise of life
that the heart gets to keep.
It’s a snake, it’s a stick,
it is John, it is Joe,
it’s a thorn in the hand,
it’s a cut to the toe.
And the waters of March
put the summer to sleep
with the promise of life
that the heart gets to keep.
A stick, a stone,
its the end of the road,
It’s what’s left of a stump,
It’s a little alone
A step, a bridge,
a frog and a child
It’s a lovely horizon,
it’s a fever gone wild
And the waters of March
put the summer to sleep,
with the promise of life
that the heart gets to keep.
-Pau, -Edra, -Im, -Inho
-Aco, -Idro, -Ida, -Ol
And the waters of March
put the summer to sleep,
with the promise of life
that the heart gets to keep.



Germán Arley Baena Vallejo

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol

É peroba do campo, é o nó da madeira
Caingá, candeia, é o Matita Pereira
É madeira de vento, tombo da ribanceira
É o mistério profundo, é o queira ou não queira

É o vento ventando, é o fim da ladeira
É a viga, é o vão, festa da cumeeira
É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Das águas de março, é o fim da canseira

É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
Passarinho na mão, pedra de atiradeira
Uma ave no céu, uma ave no chão
É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão

É o fundo do poço, é o fim do caminho
No rosto o desgosto, é um pouco sozinho
É um estrepe, é um prego, é uma ponta, é um ponto
É um pingo pingando, é uma conta, é um conto

É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
É a luz da manhã, é o tijolo chegando
É a lenha, é o dia, é o fim da picada
É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada

É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato, na luz da manhã

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um belo horizonte, é uma febre terçã

São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração

É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho

Pau, pedra, fim do caminho
Resto de toco, pouco sozinho
Pau, pedra, fim do caminho
Resto de toco, pouco sozinho

Pedra, caminho
Toco, sozinho
Pedra, caminho
Toco, sozinho
Pedra, caminho



All comments from YouTube:

Lucia Duarte

Estou escutando em 2023 e não me canso de ouvir. Isso sim é cultura. ❤❤❤❤❤❤😍😍😍😍👋👋👋👋👋👋👋👋👋

Thiago Maia

Boa ❤

Martha Arenas

​@Thiago Maiaool

L Roch

Que maravilha. Sou Americano 56 anos - filhos de brasileiros. Adoro a musica brasileira antiga. Sim, e uma cultura.

b-b

She is so gentle, but so powerful at the same time

L.W. Paradis

And so modest. She is so enthralled by the music, she seems astonished at her part in singing it.

Juan Ricarddo Huerta

El bossa nova salvó mi vida. Elis Regina es un ángel que vino a esta tierra a darnos un regalo celestial, su voz. Amo a Elis, amo el bossanova VIVA BRASIL.

Saludos desde México 🌷

Ana Eliza

Gracias, nos encanta leer eso 😍❣🇧🇷

Felipe Zimmermann

Viva Mexico!

Orlando Moraes

Ella no morirá nunca mientras haya alguien como yo en algún lugar del mundo diga de repente "hoy es noche de Elis"

More Comments

More Versions