Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found

Frevo Mulher
Geraldo Azevedo Lyrics


We have lyrics for 'Frevo Mulher' by these artists:

Alceu Valença Sai, sai, sai, vai (hey) Tiriri, tiriri Oh eô, oh eô, oh…
Alceu Valença Elba Ramalho & Geraldo Azevedo Sai, sai, sai, vai (hey) Tiriri, tiriri Oh eô, oh eô, oh…
Amelinha Quantos aqui ouvem Os olhos eram de fé Quantos elementos …
Ivo Meirelles Quantos aqui ouvem Os olhos eram de fé (só não dança…
Ivo Meirelles & Funk 'n' Lata Quantos aqui ouvem Os olhos eram de fé (só não dança…
Kaleidoscópio Quantos aqui ouvem os olhos eram de fé Quantos elementos am…
Kaleidoscуpio Quantos aqui ouvem Os olhos eram de fé Quantos elementos …
Pato Fu Quantos aqui ouvem Os olhos eram de fé Quantos elementos …
Trio Virgulino Agora vai começar tudo de novo É a festa do Brasil É…
Zé Ramalho Quantos aqui ouvem Os olhos eram de fé Quantos elementos …
Zé Ramalho É quando o tempo sacode a cabeleira É quando o tempo…
Zé Ramalho Quantos aqui ouvem Os olhos eram de fé Quantos elementos …
Zй Ramalho Sai, sai, sai, vai Oh oh oh Quantos aqui ouvem os…

We have lyrics for these tracks by Geraldo Azevedo:

Adoro Você Começo de tudo Não da pra saber Passado ou futuro Adoro você…
Ai Que Saudade D'Ocê Não se admire se um dia Um beija flor invadir A porta…
Berekekê Erumbekum Berekekê Erumbekum Berekeká Há muitos sóis não te…
Berekerê Erumbekum Berekekê Erumbekum Berekeká Há muitos sóis não te …
Bossa Tropical Bossa você é tropical Tudo que é, me faz tocar Notas de…
Cadê Meu Carnaval Monami kutundé Kutundé ngoe Mon'ami zeka-ié Mungu ngu moné …
Canção Da Despedida Já vou embora Mas sei que vou voltar Amor não chora Se eu…
Canta Coração D/C G B7 Em | Canta, canta passarinho, canta, canta miudinh…
Caravana Corra não pare, não pense demais Repare essas velas no ca…
Chorando e Cantando Quando Fevereiro chegar Saudade já não mata a gente A chama …
Coqueiros Por entre as palmas desse lugar Por coqueiros de beira mar …
Cravo Vermelho Quintais, varandas de Olinda Farol, ladeiras, luar Descansa …
Dia Branco Se você vier Pro que der e vier Comigo Eu lhe prometo o…
Domingo de Pedra e Cal Pisando na argamassa Do que vai ser construído Ao longo das …
Dona Da Minha Cabeça Dona da minha cabeça ela vem como um carnaval E toda…
Em Copacabana Em Copacabana tudo é Rei Copacabana tudo é Rei Em Copacabana…
Estrela Guia Ela apareceu hoje no céu só pra me ver tenho…
Ilha Morena Cheguei na ilha de Itamaracá Eu cheguei na ilha de Itamaracá…
La Primera Vez La primera vez no te conocí La segunda sí, dime Si el…
Moça Bonita Moça bonita Seu corpo cheira Ao botão de laranjeira Eu ta…
Pot-Pourri: Caravana / Talismã / Barcarola do São Francisco Corra não pare, não pense demais Repare essas velas no cais …
Quem é Muito Querido a Mim Quem é muito querido Quem é muito querido a mim É muito…
Sexo XX É bom pra tudo Bom pro corpo Bom pra mente É muito bom Princ…
Só Depois de Muito Amor Eu Vou Embora A beleza brotou no seu sorriso E os meus olhos colheram…
Tanto Querer Quando a gente se encontra, cresce no peito um gosto…
Táxi Lunar Pela sua cabeleira vermelha Pelos raios desse sol lilás Pelo…
Você Se Lembra Entre as estrelas do meu drama Você já foi meu…

The lyrics can frequently be found in the comments below or by filtering for lyric videos.
Most interesting comments from YouTube:

NATÁLIA MELO

Quantos aqui ouvem, os olhos eram de fé
Quantos elementos amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno, outros verão
Outonos caindo secos no solo da minha mão
Gemeram entre cabeças, a ponta do esporão
A folha do não-me-toque e o medo da solidão
Veneno, meu companheiro desata no cantador
E desemboca no primeiro açude do meu amor
É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um
Vocês (é quando o tempo sacode a cabeleira)
(A trança toda vermelha)
(Um olho cego vagueia procurando por um) beleza
Quantos aqui ouvem, os olhos eram de fé, de fé
Quantos elementos amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno outros verão
Outonos caindo secos no solo da minha mão
Gemeram entre cabeças, a ponta do esporão
A folha do não-me-toque e o medo da solidão
Veneno, meu companheiro desata no cantador
E desemboca no primeiro açude do meu amor



Joanna De Angelis

Quantos aqui ouvem
Os olhos eram de fé
Quantos elementos
Amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno
Outros verão
Outonos caindo secos
No solo da minha mão
Gemeram entre cabeças
A ponta do esporão
A folha do Não-Me-Toque
E o medo da solidão
Veneno meu companheiro
Desata no cantador
E desemboca no primeiro
Açude do meu amor
É quando o tempo sacode
A cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um
É quando o tempo sacode
A cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um
Quantos aqui ouvem
Os olhos eram de fé
Quantos elementos
Amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno
Outros verão
Outonos caindo secos
No solo da minha mão
Gemeram entre cabeças
A ponta do esporão
A folha do Não-Me-Toque
E o medo da solidão
Veneno meu companheiro
Desata no cantador
E desemboca no primeiro
Açude do meu amor
É quando o tempo sacode
A cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um
É quando o tempo sacode
A cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um
É quando o tempo sacode
A cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um
É quando o tempo sacode
A cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia
Procurando por um



Lay Lima

Quantos aqui ouvem, os olhos eram de fé
Quantos elementos amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno, outros verão
Outonos caindo secos no solo da minha mão

Gemeram entre cabeças, a ponta do esporão
A folha do não-me-toque e o medo da solidão
Veneno, meu companheiro desata no cantador
E desemboca no primeiro açude do meu amor

É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um

Vocês (é quando o tempo sacode a cabeleira)
(A trança toda vermelha)
(Um olho cego vagueia procurando por um) beleza

Quantos aqui ouvem, os olhos eram de fé, de fé
Quantos elementos amam aquela mulher
Quantos homens eram inverno outros verão
Outonos caindo secos no solo da minha mão

Gemeram entre cabeças, a ponta do esporão
A folha do não-me-toque e o medo da solidão
Veneno, meu companheiro desata no cantador
E desemboca no primeiro açude do meu amor

É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um

É quando o tempo sacode a cabeleira
A trança toda vermelha
Um olho cego vagueia procurando por um



All comments from YouTube:

Raf Jones

QUE ORGULHO DE SER NORDESTINO! 😍

Renato Santos

@Nivaldo Sena dos Santos firme, meu caro.

Renato Santos

@Nivaldo Sena dos Santos Valeu, meu caro

Nivaldo Sena dos Santos

Renato Santos. Esse galope novo Na sua cola é bom demais
Novidade boa

Juliana Amaral Camilo Juliana

Deve ser maravilhoso,são muito alegres ,sou apaixonada com o povo nordestino ❤️

78 More Replies...

Geovane Torres

O poder da arte é incrível! Não há como ser Nordestino e não ter orgulho disso, não há como não ser Nordestino e não querer o ser uma vez na vida ou por toda ela!

Jefferson Thiago

Minha vida se resume a esse sentimento!!

Cicero Mota

O sentimento de nordestinidade chega a doer de emoção.

Daniel Dantas Marinho de Oliveira

@Fabricio Assuncao amo.essa Cultura Também sou Amazonense é Amoooooooo o Nordeste

Socorro Franco

Cícero

19 More Replies...
More Comments

More Videos