Gaivota Doente
Mísia Lyrics


Vasco Graça Moura – Mário Pacheco
Perguntei ao mar salgado / Pela gaivota doente / Por seu voo desenhado / À crista da ondas rente / Seu bico tocava a
Espuma / E nas asas transportava / Branco estilhaço de bruma / Que à luz do sol faiscava / Viveu na rosa dos ventos /
Nos halos da maresia / E entre os algodões cinzentos / Das nuvens quando as havia / Mas o mar já não a expela / Não
Vem mais à maré vaza / Nem às nuvens aparéela / Nem o vento é sua casa / Digo ao mar salgado assim: / Nunca
Mais ninguém a viu / Nem voa dentro de mim / Porque o meu amor partiu

Contributed by Olivia I. Suggest a correction in the comments below.
To comment on specific lyrics, highlight them
Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Comments from YouTube:

Tatiana C. 🇨🇱

Xaquín Saurin, gracias

Xaquín Saurin

Perguntei ao mar salgado/pela gaivota doente/por seu voo desenhado/à crista da ondas rente/Seu bico tocava a espuma/e nas asas transportava/branco estilhaço de bruma/que à luz do sol faiscava/Viveu na rosa dos ventos/nos halos da maresia/e entre os algodões cinzentos/das nuvens quando as havia/Mas o mar já não a expela/não vem mais à maré vaza/nem às nuvens aparéela/nem o vento é sua casa. / Digo ao mar salgado assim: / nunca mais ninguém a viu / nem voa dentro de mim / porque o meu amor partiu

More Videos