Eu Confesso
O Terno Lyrics


Eu confesso
Que gosto das moças do bairro onde eu moro
Do estilo indie-hippie-retrô-brasileiro
Que habitam os bares e ruas daqui
Eu não quero deixar ninguém ver que eu sou mesmo
O que pensam de mim quando me veem na rua
Classe média enjoada com pinta de artista
Será que eu sou tão previsível assim?

Essa não, ai meu Deus, que tragédia
Eu não posso viver sendo igual a ninguém
E eu pensei que era inteligente mas de nada eu sei
Minha mãe me falou que bonito era eu, mais ninguém
Como pode a mãe dele ter dito pra ele também?
Eu confesso
Que gosto das moças do bairro onde eu moro
Do estilo indie-hippie-retrô-brasileiro
Que habitam os bares e ruas daqui
Eu não quero deixar ninguém ver que eu sou mesmo
O que pensam de mim quando me veem na rua
Classe média enjoada com pinta de artista
Será que eu sou tão previsível assim?
Essa não, ai meu Deus, que tragédia
Eu não posso viver sendo igual a ninguém
E eu pensei que era inteligente mas de nada eu sei
Minha mãe me falou que bonito era eu, mais ninguém
Como pode a mãe dele ter dito pra ele também?
Eu confesso
Que gosto das moças do bairro onde eu moro
Do estilo indie-hippie-retrô-brasileiro
Que habitam os bares e ruas daqui
Que tragédia, eu não posso viver sendo igual a ninguém
E eu pensei que era inteligente mas de nada eu sei
Minha mãe me falou que bonito era eu, mais ninguém
Como pode a mãe dele ter dito pra ele também?
Eu confesso
Eu confesso
Eu confesso
Eu confesso

Contributed by Nolan B. Suggest a correction in the comments below.
To comment on specific lyrics, highlight them
Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Most interesting comment from YouTube:

Hugo Teodoro

Eu confesso
Que gosto das moças do bairro onde eu moro
Do estilo indie-hippie-retrô-brasileiro
Que habitam os bares e ruas daqui

Eu não quero deixar ninguém ver que eu sou mesmo
O que pensam de mim quando me veem na rua?
Classe média enjoada com pinta de artista
Será que eu sou tão previsível assim?

Essa não, ai meu Deus, que tragédia
Eu não posso viver sendo igual a ninguém
E eu pensei que era inteligente mas de nada eu sei
E minha mãe me falou que bonito era eu, mais ninguém
Como pode a mãe dele ter dito pra ele também?

Eu confesso
Que gosto das moças do bairro onde eu moro
Do estilo indie-hippie-retrô-brasileiro
Que habitam os bares e ruas daqui

E eu não quero deixar ninguém ver que eu sou mesmo
O que pensam de mim quando me veem na rua
Classe média enjoada com pinta de artista
Será que eu sou tão previsível assim?

Essa não, ai meu Deus, que tragédia
Eu não posso viver sendo igual a ninguém
E eu pensei que era inteligente mas de nada eu sei
E minha mãe me falou que bonito era eu, mais ninguém
Como pode a mãe dele ter dito pra ele também?

Que tragédia, eu não posso viver sendo igual a ninguém
E eu pensei que era inteligente mas de nada eu sei
Minha mãe me falou que bonito era eu, mais ninguém
Como pode a mãe dele ter dito pra ele também?

Eu confesso
Eu confesso
Eu, eu confesso
Eu confesso



All comments from YouTube:

Adrian Santiago

"Que tragédia! Eu não posso viver sendo igual a ninguém!"
Nos comentários: me identifico com a letra
👍

CaraDoMiojo

Eu confesso que gosto das moças do bairro onde eu moro......... dias depois ele compõe ai ai como eu me iludo

Josan Souza

kkkkkkkkkk

Fölks

como ele disse, "será que sou tão previsível assim?"

Paula Bouard

CaraDoMiojo Bem isso hausahduahsusgs

Raphael Motta

Quando eu ouvi essa musica eu pensei exatamente "que merda, esse cara é igual a mim" huahuauhauha

Vitor ferreira

parabens, tu e um merda.

Th SANTTOSS

Oi ;-;

Anonymo Sad

Kkkkkkk, ninguém é assim tão único amigo, no fundo todos somos previsíveis

Kalinka

neee manooo

More Comments