Harmonium
O Terno Lyrics


Tudo que eu pensei, e nunca falei
As coisas que eu fiz, e nunca mostrei
E como eu agi quando ninguém viu
ninguém vai saber, ninguém vai saber, o que não deu certo por sorte ou azar ninguem reparou, ninguem vai notar
e a coincidência podia mudar, mas já não mudou e acabou de passar
Será que ninguém consegue assistir, o que a gente faz sozinhos aqui
será que depois que a gente morrer, vamos assistir o que não deu pra ver
um grande cinema com quem já morreu
e quem vai morrer, e quem nem nasceu
quem sabe se eu tentasse guardar
tudo o que eu ouvi, ouvi ou senti
aquilo que nem se eu explicar, vai fazer alguém se sentir igual
eu vou colocar tudo nesse báu
que só vão abrir quando fizer sentido.

Contributed by Sebastian C. Suggest a correction in the comments below.
To comment on specific lyrics, highlight them
Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found
Most interesting comments from YouTube:

Daniel Kniss

Tudo que eu pensei e nunca falei
As coisas que eu fiz e nunca mostrei
E como eu agi quando ninguém viu
Ninguém vai saber, ninguém vai saber
O que não deu certo por sorte ou azar
Ninguém reparou, ninguém vai notar

E a coincidência podia mudar
Mas já não mudou e acabou de passar
Será que ninguém consegue assistir
O que a gente faz sozinhos aqui?
Será que depois que a gente morrer
Vamos assistir o que não deu pra ver?
Num grande cinema, com quem já morreu
E quem vai morrer, e quem nem nasceu

Quem sabe se eu tentasse guardar
Tudo o que eu ouvi, ou vi, ou senti
Aquilo que nem se eu explicar
Vai fazer alguém se sentir igual
E eu vou colocar tudo nesse baú
Que só vão abrir quando fizer sentido



SO WHAT UP

Tudo que eu pensei, e nunca falei
As coisas que eu fiz, e nunca mostrei
E como eu agi quando ninguém viu
Ninguém vai saber, ninguém vai saber
O que não deu certo por sorte ou azar
Ninguem reparou, ninguem vai notar
E a coincidência podia mudar
Mas já não mudou e acabou de passar
Será que ninguém consegue assistir
O que a gente faz sozinhos aqui
Será que depois que a gente morrer
Vamos assistir o que não deu pra ver
Um grande cinema com quem já morreu
E quem vai morrer, e quem nem nasceu
Quem sabe se eu tentasse guardar
Tudo o que eu ouvi, ouvi ou senti
Aquilo que nem se eu explicar
Vai fazer alguém se sentir igual
Eu vou colocar tudo nesse báu
Que só vão abrir quando fizer sentido



Lukrinhas

Oi, respondendo meio tarde, mas antes tarde do que nunca né???
Intro: E11 - E ficam alternando entre si

aí depois desses dois acordes eles continuam a introdução com esses:
E - Eb°- C#m - B - Bbm#5 - Asus2 -B - B7
(Na real essa parte o tim toca mais acordes, igual quando ele acompanha a melodia em atrás/além mas é muita coisa pra pôr aqui hahaha)

aí os versos:
E - D - A/C# - C7 (2x)

Asus2 - Bsus2 - A/C# - B/Eb (x2)

ai repete essa parte de cima de novo, começa o verso 2.

a única coisa que muda é que na parte que ele fala "num grande cinema com quem ja morreu, e quem vai morrer e quem nem nasceu" você toca esses acordes:
Asus2 - Bsus2 - C#° - E° - G° - Bb°

ai depois disso repete aquela sequência de acordes que ele tocam na introdução. E depois os acordes dos versos de novo!!!

Espero tenha ficado claro!!!
Caso tenha algum acorde que soe estranho ou que você não acha que esteja certo ja peço perdão porque tirei de ouvido rapidinho aqui hahahah mas, ta aí!!!



All comments from YouTube:

Daniel Kniss

Tudo que eu pensei e nunca falei
As coisas que eu fiz e nunca mostrei
E como eu agi quando ninguém viu
Ninguém vai saber, ninguém vai saber
O que não deu certo por sorte ou azar
Ninguém reparou, ninguém vai notar

E a coincidência podia mudar
Mas já não mudou e acabou de passar
Será que ninguém consegue assistir
O que a gente faz sozinhos aqui?
Será que depois que a gente morrer
Vamos assistir o que não deu pra ver?
Num grande cinema, com quem já morreu
E quem vai morrer, e quem nem nasceu

Quem sabe se eu tentasse guardar
Tudo o que eu ouvi, ou vi, ou senti
Aquilo que nem se eu explicar
Vai fazer alguém se sentir igual
E eu vou colocar tudo nesse baú
Que só vão abrir quando fizer sentido

Rodrigues Castro

Enchi os olhos quando chegou em "Será que depois/Que a gente morrer/Vamos assistir/O que não deu pra ver/Num grande cinema/Com quem já morreu/E quem vai morrer/E quem nem nasceu". É estranho, mas é algo que eu penso desde que me entendo por gente, e ver/ouvir isso num trecho de uma música foi impactante. Musica linda, por sinal... que melodia. Estou bobo, mas, porra, QUE MUSICA!

Anderson

@Rodrigues Castro porra cara, você descreveu exatamente o q eu sinto tb

Xayru

Que composição perfeita. Fiquei espantado. Com medo dessas novas trilhas de vocês. Simplesmente adorei. Manteram o estilo do último álbum. Continuem com seu belíssimo trabalho. De um fã que adora vocês.

Airton Emanuel

8 anos depois a música ainda continua linda.

Chá com leite

Ainda é uma composição realmente perfeita, mesmo 7 anos depois.

You Twitter

Por muito tempo essa foi a minha música preferida do O terno. Gosto muito. Até pq foi a primeira música que escutei da banda. Justamente em 2013. Quando conheci a banda. Sou muito fã de vocês

Chá com leite

Essa é uma das minhas canções preferidas do terno também

marcelowork

Uma música para um "órgão velho sem tubos com som de sanfona" rsrsrs... Linda letra, e referência à essa raridade musical.

Waldir Pereira

Realmente belíssima música. Música que diz o que as pessoas pensam ou sentem no seu inconsciente. Sem contar melodia , musicalidade , poesia , influências de Mutantes , Beatles , parece um pouco de Los Hermanos etc.. Sucesso a todos !!!👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

More Comments