Genre not found
Artist not found
Album not found
Song not found

Axé A Cappella
Maria Gadú Lyrics


We have lyrics for these tracks by Maria Gadú:

A História de Lilly Braun Como num romance O homem dos meus sonhos Me apareceu no da…
A Valsa Tua alegoria já não abre alas Pra toda poesia que insiste…
Altar Particular Meu bem que hoje me pede pra apagar a luz E…
Amor de índio Tudo o que move é sagrado E remove as montanhas Com todo…
Anjo de guarda noturno Meu anjo de guarda noturno Você é quem sabe de tudo E…
Baba Você não acreditou, você nem me olhou Disse que eu era…
Bela Flor A flor que vem me lembrar a flor que é…
Dona Cila De todo o amor que eu tenho Metade foi tu que…
Encontro Sai de si vem curar teu mal Te transbordo em som Poe…
Escudos Eu não tenho tempo pra falar teu nome Eu não tenho…
Estranho Natural Será que te conheço desde a infância Será que na infância…
Extranjero Ahora yo soy para ti Solamente un extranjero Tengo la vida…
Laranja Ô menina, parece índia Yanomami seu cabelo preto breu Simula…
Like a Rose Why do you walk in the dark Hoping that love finds…
Linda Rosa Pior que o melhor de dois Melhor do que sofrer depois Se…
Linha Tênue Todo o lugar que chego você não fica Tudo o que…
Long Long Time Been a long long time And you know I've been waiting Been…
Lounge Vamos pru'm lounge Beber um vinho safra ruim E conversar s…
Mais Que A Mim Ouvi dizer que você tá bem Que já tem um outro…
Ne me quitte pas Ne me quitte pas Il faut oublier Tout peut s'oublier Qui s'e…
No Pé do Vento Mais uma página do mesmo livro Mais uma parte da mesma…
Nosso estranho amor Não quero sugar todo seu leite Nem quero você enfeite do…
Oração ao tempo És um senhor tão bonito Quanto a cara do meu filho Tempo…
Quando Fui Chuva Quando já não tinha espaço, pequena fui Onde a vida me…
Quem? Quem vai gritar primeiro? Quem? O grito que afrouxa em dese…
Reis Não se fere um rei a ferro e fogo Eu não…
Shimbalaiê Shimbalaiê, quando vejo o sol beijando o mar Shimbalaiê, tod…
Shimbalaiê Shimbalaiê, quando vejo o sol beijando o mar Shimbalaiê, to…
Taregué Taregué foi pro mundo com Zaino e pé Querendo encontrar, co…
Tudo Diferente Todos caminhos trilham pra a gente se ver Todas as trilhas…
Who Knew You took my hand, You showed me how You promised me…

The lyrics can frequently be found in the comments below, by filtering for lyric videos or browsing the comments in the different videos below.
Most interesting comment from YouTube:

Jaqueline Rocha

Pararam pra reparar?
Estão ouvindo esse som?
Pulsando seco no ar
Merece nossa atenção!
Preparem bem os sensores
Para poder captar
Parem usinas, motores
Para ouvirmos bater
Dum! Dum! Dum!
Seu clamar

Som de corte pungente, mundo doente além da conta
Sangra lucro imediato, mas a cura de fato, não aponta
Em uma remota viela a voz de uma santa faz menção
Um axé acappella feroz insinua o batidão

Pararam pra reparar?
Estão ouvindo esse som?
Reparem, não vai parar
Diante a tal condição
Jogos de egos gigantes
Sem dar sossego a fatal pulsação
Que segue até seu furor
Tornar-se ensurdecedor
Dum! Dum! Dum!
Seu clamar

Chega de jogar confete, de botar enfeite, achar desculpas
É guerra, é dente por dente, e rasga somente carne crua
Rouco, cantor se esgoela sozinho em meio a uma multidão
Um axé acappella feroz insinua o batidão

E se bater vai matar!
E se bater vai tremer!
Não sobrará mais que o leito de um rio
Que escorre a prenda de um passado sombrio
Enquanto o homem não acorda
Idiota! Nem nota!
Se enforca com a corda da própria tensão
E um axé feito acappella
Vai se transformando num batidão

Aí é choro doído, é sonho moído, é fim de trilha
Já mortalmente ferido, um lobo banido da matilha
Silente um bom Deus vela a terra sagrada da ingratidão
Um axé acappella feroz insinua o batidão!



All comments from YouTube:

Jaqueline Rocha

Pararam pra reparar?
Estão ouvindo esse som?
Pulsando seco no ar
Merece nossa atenção!
Preparem bem os sensores
Para poder captar
Parem usinas, motores
Para ouvirmos bater
Dum! Dum! Dum!
Seu clamar

Som de corte pungente, mundo doente além da conta
Sangra lucro imediato, mas a cura de fato, não aponta
Em uma remota viela a voz de uma santa faz menção
Um axé acappella feroz insinua o batidão

Pararam pra reparar?
Estão ouvindo esse som?
Reparem, não vai parar
Diante a tal condição
Jogos de egos gigantes
Sem dar sossego a fatal pulsação
Que segue até seu furor
Tornar-se ensurdecedor
Dum! Dum! Dum!
Seu clamar

Chega de jogar confete, de botar enfeite, achar desculpas
É guerra, é dente por dente, e rasga somente carne crua
Rouco, cantor se esgoela sozinho em meio a uma multidão
Um axé acappella feroz insinua o batidão

E se bater vai matar!
E se bater vai tremer!
Não sobrará mais que o leito de um rio
Que escorre a prenda de um passado sombrio
Enquanto o homem não acorda
Idiota! Nem nota!
Se enforca com a corda da própria tensão
E um axé feito acappella
Vai se transformando num batidão

Aí é choro doído, é sonho moído, é fim de trilha
Já mortalmente ferido, um lobo banido da matilha
Silente um bom Deus vela a terra sagrada da ingratidão
Um axé acappella feroz insinua o batidão!

june sá

jaqueline cardozo rocha ♡

Elisangela Ferreira Soares

Amo essa música .Maio 2020

Elisangela Ferreira Soares

@Afonso Gabriel ouvindo Maria no dia dos pais ,bom gosto 👏

Afonso Gabriel

Agosto de 2020 😍

Amilton Santos

Maio 2020

Luzia Felipe Felipe

Alguem na quarentena?

Thalita Fernanda

Euuu 👊😘

Elivelton Leonel

Música super atual, pqp.

Lizandra Cristina

Melhor voz

More Comments

More Videos